Em defesa da Busca

Em defesa da Busca
em TechBits

Desde que o Techbits existe, cerca de 19% dos visitantes vieram do Google. É provável que uma parte deles tenha se tornado leitor regular. Por isso figurar em mecanismos de buscas como o Google ou Yahoo! é um ótimo negócio: ganha-se visibilidade e novos leitores. Mas não é assim que pensa uma associação de jornais da Bélgica. Ganharam na justiça uma ação obrigando o Google a não mais indexar suas páginas. Azar deles.

A Busca impulsiona os negócios – No livro “A Busca”, John Battelle cita o caso de uma loja de sapatos que, da noite para o dia, viu seu faturamento despencar por ter caído no ranking do Google. A loja virtual, que vendia cerca de 40 mil dólares por mês, ficou com estoques encalhados às vésperas do Natal de 2003. A busca impulsiona visitantes, o faturamento e os negócios. Sair da primeira página do Google para outra qualquer fez todos esse índices despencarem.

Não é à toa que encontramos pela web empresas vendendo SEO (Search Engine Optimization – Otimização em Mecanismos de Busca), muitas delas oferecendo práticas não aceitas pelo Google e, portanto, passíveis de exclusão do mecanismo de busca como ocorreu recentemente com a BMW alemã.

Os livros e a prateleira infinita indexável – Controvérsia parecida ocorre com as editoras de livros e o Google. O projeto Google Livros pretende escanear e tornar disponível a busca por todos os livros existentes. As editoras não gostaram da idéia. Mas como fazer para que aquele livro, perdido em uma estante empoeirada, seja descoberto? Só com a busca na prateleira infinita da Cauda Longa. E isso provavelmente aumentará as vendas.

Azar deles – Dizem por aí que cerca de 40% das visitas a sites de notícia originam-se de serviços agregadores como o Google News. Por que então uma empresa de mídia prefere ficar fora do Google? A verdade é que as empresas representadas neste processo querem continuar no Google News, mas exigem pagamento de taxas de direito de uso de trechos de seus textos.

O Google defende-se dizendo que não fatura em cima do serviço Google News (não há anúncios), e que qualquer site pode se auto excluir de mecanismos de buscas apenas configurando corretamente o robots.txt, arquivo padronizado que alerta robôs de mecanismos de buscas sobre qual conteúdo [não] indexar.

Só posso entender que os jornais belgas não querem atrair leitores… azar deles.

por Alexandre Fugita

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s