Foi assim, pela internet

Do site da BBC Brasil, por Lucas Mendes

Lucas MendesUm amigo, Evandro, muito bem sucedido na vida material, respeitado entre os profissionais da classe dele, quase aos trinta anos e já cheio de milhões, estava infeliz na vida sentimental. Foi quando surgiram Helena e a paixão. Fulminantes.

A maior frustração de Evandro era não ter tido um grande amor. Ele, um cultivador de amizades, achava que a vida dele era incompleta sem uma pessoa para dividir toda aquela afluência.

Em pouco tempo, entre arroubos de felicidade, decidiram morar juntos. Houve festão de noivado com aliança de brilhante comprada Tiffanys de Nova York, por mais de 20 mil dólares. Helena não era muito culta nem sofisticada mas era cheia de vida, espontânea. E linda.

Evandro, com negócios internacionais, levava Helena em muitas viagens, sempre generoso nos presentes e na mesa.

Obcecado por computadores e Blackberrie e com amigos espalhados pela Europa e Estados Unidos, se conectou no site asmallworld.net.

Um dia recebeu um e-mail de uma Cláudia Oliveira, de São Paulo. Ela queria entrar na rede. Mandou uma foto, linda de frente e perfil. Os e-mails entre eles eram abrangentes e cultos, bem acima do nível de conversa da noiva.

Coincidência ou não, a paixão em casa começou a esfriar por parte dela, mas não a de Evandro que insistiu em antecipar a data do casamento para daí a três meses, 22 de abril.

O dia foi se aproximando e ele não via os preparativos da noiva com vestido, convites, recepção, igreja. Aflito, a noiva meio amuada, ele foi pedir apoio e conselhos à futura sogra.

“Coisa de noiva antes de casamento”, disse a mãe de Helena, mas ela também parecia preocupada, pois Evandro era um partidão.

E a conversa com a Cláudia pela internet estava cada vez melhor. Foi ela quem propôs um encontro e sugeriu que fosse na casa dele. Evandro abriu o jogo sobre o casamento daí alguns dias e a paixão pela noiva. O romance virtual chegou ao fim da linha.

Poucos dias depois Evandro fez uma viagem de negócios e fretou um jatinho para chegar mais cedo em casa e agradar a noiva que continuava um pouco distante.

Quando ele entrou no quarto encontrou um bilhete debaixo do anel de noivado: eu sou a Claudia do asmallworld. Evandro foi dormir e diz que até hoje não acordou.

PS – Os nomes são falsos, mas a história é tão verdadeira quanto os brilhantes da aliança que nunca foi devolvida.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s