Reforma ortográfica não deve sair em 2008, diz ministro

 Do UOL

A reforma ortográfica da língua portuguesa, prevista para entrar em vigor em janeiro de 2008, não deverá acontecer na data pré-estabelecida. O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que a nova regra não será implantada devido à demora de Portugal em assinar o acordo que prevê as mudanças. A informação foi publicada nesta terça-feira (4) pela Folha Online.

Oito países fazem parte do acordo: Brasil, Portugal, Timor Leste e cinco nações africanas (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe).

Em princípio, a ortografia comum da língua portuguesa já pode entrar em vigor, porque três dos países lusófonos – Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe – já ratificaram o acordo e o protocolo modificativo, aprovados em julho de 2004, em São Tomé, durante cúpula da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa).

O protocolo modificativo permite que o acordo vigore com a ratificação de apenas três países da CPLP, sem a necessidade de aguardar que todos os outros membros da organização adotem o mesmo procedimento. Portugal já ratificou o acordo, mas ainda falta ratificar o protocolo modificativo.

O objetivo da reforma é incentivar a utilização do idioma por organizações internacionais.

Se e quando a reforma entrar em vigor, haverá um período de transição para que os Ministérios da Educação da CPLP, associações e academias de letras, editores e produtores de materiais didáticos possam, gradualmente, reimprimir livros, dicionários, cartilhas e outros materiais.

Mudanças na ortografia
Segundo especialistas, as modificações propostas no acordo devem alterar 1,6% do vocabulário de Portugal. Os portugueses deixarão de escrever “húmido” para usar a nova ortografia – “úmido”.

Desaparecem também da língua escrita em Portugal o “c” e o “p” nas palavras onde estas letras não são pronunciadas, como em “acção”, “acto”, “baptismo”, “óptimo”.

No Brasil, a mudança será menor, já que apenas 0,45% das palavras terão a escrita alterada. O trema utilizado pelos brasileiros desaparece completamente.

Outro exemplo é o fim do acento circunflexo nas paroxítonas terminadas em “o” duplo (“vôo” e “enjôo”), usado na ortografia do Brasil.

O alfabeto deixa de ter 23 letras para ter 26, com a incorporação do “k”, “w” e “y”. Apesar das mudanças ortográficas, serão conservadas as pronúncias típicas de cada país.

Anúncios

Um comentário sobre “Reforma ortográfica não deve sair em 2008, diz ministro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s