Versão da hora

Do Coletiva.net 

Jornal britânico contraria artigo sobre o fim da mídia impressa

Uma reportagem publicada nesta semana pelo jornal britânico The Guardian destacou que a revista Time estava errada ao apresentar um artigo, em março de 2009, sobre os dez jornais mais ameaçados dos Estados Unidos. No texto, o veículo previa que oito deles provavelmente deixariam de existir em pouco mais de um ano e meio. Segundo a matéria do The Guardian, 17 meses após a publicação do artigo todos permaneceram no mercado. De acordo com o jornal, dos cerca de 1400 jornais diários americanos, 11 deixaram de circular e o mercado de impressos mostra sinais de recuperação.

Recentemente, segundo registrou o jornal O Estado de S.Paulo, a revista The Economist pediu desculpas por um artigo publicado em 2006 que dava conta do fim de boa parte dos jornais em poucos anos. Em sua nova avaliação, a publicação lembrou que errou ao ter previsto o suposto fim dos impressos, mas que a sobrevivência em longo prazo ainda é incerta. Para sustentar sua avaliação, a Economist lembrou que, nos últimos três anos, o setor de publicações impressas nos Estados Unidos perdeu mais de 13 mil postos de trabalho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s