A mãe de todas as lutas

Do Terra Magazine

 

Você, que está lendo este artigo agora, deve ser pessoa pertencente à classe média ou média-alta, não? Pois bem, devo-lhe dizer que até hoje não entendo sua compulsão por pagar duas vezes pelo mesmo serviço. Há anos parece que você firmou um indissolúvel casamento com a bitributação. Senão vejamos: você paga impostos para ter segurança e tranqüilidade no seu dia a dia; entretanto, paga mais ainda para morar num condomínio fechado ou em algum prédio cercado de câmeras por todos os lados. Você também paga impostos para ter direito a hospitais de ponta e assistência médica decente, não é? No entanto, “morre” numa quantia considerável mensal para garantir um bom plano de saúde. E, por fim, só para ficarmos em três exemplos, no imposto que você paga vai um percentual considerável para que seus filhos tenham boas escolas públicas e um padrão de ensino, no mínimo, satisfatório. E o que ocorre? Haja dinheiro para colégio particular e, a depender do número de filhos, isso vira uma pequena fortuna. Faça as contas direitinho e veja o quanto voltaria para o seu bolso se nós, da classe média, abraçássemos uma luta sem trégua por serviços públicos de qualidade!

Fico, por enquanto, com a luta por uma escola pública decente, que é, para mim, a mãe de todas as outras lutas. Pelo simples fato de que uma pessoa bem informada, com boa visão de mundo e consciência cidadã, saberá muito bem afastar o que de ruim ou inconveniente tente se aproximar de sua vida. Saberá lutar por um ótimo sistema de saúde, por boas estradas, pelo zelo necessário com o meio ambiente, pela sustentabilidade da vida no planeta. Assim como você faz, assim como eu faço. Dê escolarização e educação de qualidade a um povo, que do resto ele cuidará.

Além do mais, na escola pública, teremos a primeira aula de democracia e respeito às diferenças. Numa sala de aula sem apartheid, estudam o filho do deputado e o filho do gari; o filho do gerente do banco e o filho do contínuo; o filho do empresário e o filho do camelô. Uma sala com todas as classes e de todas as cores. E pela qual já pagamos altos impostos! Só pra lembrar: se já foi assim um dia, por que não pode voltar a sê-lo?

 


“Escola pública decente é a mãe de todas as outras lutas” (foto: Reuters)

Por isso estou em campanha desde o artigo passado. Precisamos provocar uma audiência pública no Senado para que seja discutido o projeto 480/2007, de Cristovam Buarque, que prevê, para “daqui a sete anos, que todo detentor de mandato público, de vereador a presidente, seja obrigado a matricular seus filhos na rede pública de ensino do Brasil”. É o que chamo de “bomba do bem”. Falta apenas o senador Antônio Carlos Valadares, o relator do projeto, retirá-lo da gaveta, onde dorme há quatro anos. Use o Twitter, o Facebook, mande e-mail para o relator. Isso é infocidadania. E-mail dele: antoniocarlosvaladares@senador.gov.br

A luta continua, classe média!

 

 

Jorge Portugal é educador, poeta e apresentador de TV. Idealizou e apresenta o programa “Tô Sabendo”, da TV Brasil.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s