Tema 5/50: Atuar em EaD: quais os desafios e pré-conceitos precisam ser superados pelos professores “presenciais”?

Coisas externas criam desejos. A motivação? Ela vem de dentro de cada um.

Desde o dia 21 de janeiro, participo de uma iniciativa A Educação a Distância no Contexto Atual: 50 temas e 50 dias online. A ideias é ter 50 dias de debate online, as contribuições serão compiladas e selecionadas e-book. Essa iniciativa é um projeto do Grupo A, a ABED e o Guia EAD Brasil. Vou compartilhar minhas impressões sobre os temas, por aqui. Ótimos 50 dias para nós. O tema 4 é: O que fazer em caso de pane tecnológica? Como a IES pode manter os alunos motivados e interessados em caso de uma pane tecnológica no ambiente virtual? Como aluno, é possível, durante a pane, se manter motivado, estudando de forma autônoma? Quais são os planos “B” recomendados?

Gente, desculpa, vou ser polêmica, mas não podemos confundir motivação com desejo. Uma pane tecnológica não pode ser fator de motivação do aluno primeiro porque motivação é um fator intrínseco e a tecnologia é uma ferramenta que influencia na experiência do aluno com o curso – o que pode provocar desejo.

Pensem comigo: eu quero andar de bicicleta. Compro uma bicicleta. E ela não anda. Qual a seu primeiro sentimento? Devolver a bicicleta. Ou seja, o fato dela não funcionar não muda seu desejo de andar de bicicleta. Você só não vai mais querer aquela bicicleta. Aí, você pode trocar de marca, por exemplo. Ou, se ela for, por exemplo, um meio de transporte, você muda de meio. A motivação – o ato de andar ou o deslocamento – continuam dentro de você e vão de encontro com o desejo de querer continuar usando uma bicicleta que não funciona.

Agora, voltando para a pane tecnológica em EaD. Isso vai acontecer com você. Com todos nós (se já não aconteceu hehe). E o que precisamos é um bom relacionamento aluno-IES. Isso é fundamental! Um plano de contingência (também conhecido como “bom planejamento”) para as situações possíveis de serem imaginadas e serenidade para aquelas que, de fato, não têm solução também dão segurança para os possíveis contratempos tecnológicos. Se afetar data de entrega de trabalhos, novas datas, mais flexibilidade. Se for na disponibilidade de vídeos, outro recursos que atenda. Se for o sistema de tutoria, meios de comunicação alternativos… E a lista vai ser longa.

Do ponto de vista do aluno, uma pane é algo excepcional, porque ele está seguro de que vai ser resolvido. Ele tem confiança na sua IES. Construindo relacionamentos de confiança com o aluno e tendo à disposição alternativas para o seguimento do seu processo de aprendizagem, o impacto é menor, acreditem.

Sobre como se manter motivado para estudar de forma autônoma, essa é uma característica inerente à pessoa. É pouco provável que uma pane eventual tenha reflexos significativos na sua rotina padrão de estudos. Além disso, o aluno de EaD tem que ter a habilidade de se desenvolver de forma autônoma, caso contrário, ele não será um aluno de EaD. Mas isso é outra discussão =)

E você, o que pensa?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.