Tema 21/50: “Nóis vai e acabando fondo”, qual a receita da compreensão

Coesão, coerência e clareza: não é favor, é obrigação.

Desde o dia 21 de janeiro, participo de uma iniciativa A Educação a Distância no Contexto Atual: 50 temas e 50 dias online. A ideias é ter 50 dias de debate online, as contribuições serão compiladas e selecionadas e-book. Essa iniciativa é um projeto do Grupo A, a ABED e o Guia EAD Brasil. Vou compartilhar minhas impressões sobre os temas, por aqui. Ótimos 50 dias para nós. A apresentação do tema 21 é: Os processos de interação dos cursos on-line, são feitos principalmente por meio de textos escritos. Mas na rapidez com que se dá essa interação on-line, muitas vezes a revisão, a qualidade e compreensão dos textos, podem ficar comprometidas. O que deve ser feito para evitar textos pouco claros e precisos e os erros de linguagem cometidos por professores e tutores? E essa questão poderia ser considerada como elemento avaliativo para os alunos?


Relendo minha resposta ao tópico anterior, fui, talvez um pouco categórica demais quando disse que sem internet não tem EaD online. Vendo este tópico, vou pelo mesmo caminho.

A rapidez na troca de informações escritas não podem justificar falta de coesão, coerência ou clareza da informação. Sem isso, o processo de aprendizagem e troca não existe por falta de compreensão entre as pessoas. Pessoas = todos os integrantes do EaD, aí inclusos professores, tutores e alunos.

Fazendo uma regressão, professores e tutores que têm problemas com coesão, coerência e clareza nas suas comunicações escritas não deveriam estar na EaD porque deles é esperado que se comuniquem com os alunos – no sentido mais simples da palavra comunicar: passar uma mensagem compreensível a outrem e estar passível de receber um feedback.

Ao aluno de um ensino superior, espera-se também que a capacidade da comunicação escrita esteja presente e, portanto, vejo sim como um elemento avaliativo do processo.

Neste ponto, coloco uma divisão. Quando falamos do processo comunicativo de forma geral, no ambiente online, estamos falando de conversas, no seu paralelo presencial. Ou seja, usar linguagem de chats, emojis, abreviações e afins é normal e esperado.

Por outro lado, os trabalhos acadêmicos são regidos pelas – famosas! – regras da norma culta da língua. E pela ABNT, é claro! =D Disso, não se pode abrir mão.


post scriptum:

Não existem erros de linguagem – que é dinâmica e mutável. Existem, sim, erros de português como língua, que tem suas regras, definidas pela sua gramática – só pra lembrar mesmo!

=)

E você, o que pensa?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.